1 Centavo: Cadê meu troco?

Alguns dias atrás fui com uma amiga almoçar num restaurante aqui perto do escritório, o lugar tinha um placa onde constava o preço único (bem grande diga-se de passagem) de R$10,99. Fui lá, fiz meu prato, e fui até o balcão pegar minha comanda, ai a moça anotou no campo correspondente à comida: “11,00”, na hora de pagar, da mesma forma, me cobraram os R$11,00.

Então vamos lá: eu sei que 0,01 é pouco, é quase nada, muita gente nem se dá ao trabalho de abaixar para pegar se uma moedinha de 1 centavo cai da carteira, mas isso não da a ninguém o direito de pegar seus centavinhos dessa forma, na cara dura. E no fim, é uma grande chatisse você ter que se estressar no meio do seu almoço, para brigar com a pessoa do restaurante, por causa de 0,01 centavo.

E eu nem sequer quero falar da questão legal, e que eu poderia fazer a pessoa cumprir o anúncio (arts. 30 e 35 do CDC), e que a publicidade era enganosa (art. 37, §1º e 67 do CDC) e blá, blá, blá. Mas, de verdade, eu não acho que o problema era eu pagar o 1 centavo, é saber que o restaurante está enganando as pessoas deliberadamente.

Vale lembrar que, normalmente, a finalidade dos preços com final 0,99 é confundir o consumidor, que normalmente só vê as casas antes da vírgula e muitas vezes deixa passar que o produto é quase 1 real mais caro do que ele estava pensando. Mas nesse caso tem outro mal, não é só a confusão do preço, é que o restaurante está deliberadamente ficando com esse 0,01 de diferença. Lembrem ainda, que enquanto muitas pessoas não pedem o centavo de troco quando pagam em dinheiro, no pagamento em débito as moedas não fazem diferença e a pessoa pode muito facilmente passar os 0,99 sem o problema do troco.

E vocês podem até me dizer que 1 centavo não é nada, mas façam as contas: digamos que o restaurante receba 60 pessoas por dia (eu acho que deve ser mais, mas tudo bem), são 0,60 por dia de cada cliente que eles cobram 1 centavo a mais, são mais ou menos 20 dias úteis (considerando que seja um restaurante que atenda mais o pessoal que trabalha na região) no mês da uns R$12,00 por mês, R$ 144,00 no ano. Não é uma quantia absurda, mas acho que também não é nada de se jogar fora. E o que mais me tirou do sério foi que nem esperaram para chegar no caixa para arredondar, a menina teve a coragem de escrever o valor na comanda!!

Então, estou escrevendo isso para vocês refletirem um pouco, sobre os centavos que os fornecedores muitas vezes vão roubando de nós.

Eu não falei nada no restaurante porque não estava com muito humor para brigar por causa de 1 centavo, mas depois me arrependi, porque não é uma questão de contar os centavos, mas de cobrar honestidade! Nós consumidores as vezes ficamos cansados demais para reclamar, ou nos sentimos demasiadamente impotentes, mas acho que o silêncio não apenas não resolve nossos problemas, mas colabora para manter as coisas como estão.

Acho que se todos nós começássemos a reclamar mais dessas coisas, e cobrar o nosso troco, por mais mísero que seja, talvez os fornecedores passassem a repensar essas técnicas malignas.

You may also like...

39 Responses

  1. Lembro que uma das coisas que eu achei mais diferentes quando fui pros Estados Unidos foi eles darem o troco com todos os cents devidos, sem arredondar nada, além de separar o preço do produto do imposto (tax)!

    Mas, voltando pro Brasil, continuei dando o troco, mesmo que fosse de 20, 50 centavos, para o caixa, porque não queria sair com o bolso tilintando por aí. Costume difícil de largar…

  2. Nilva Helena Ferreira says:

    Dani toste virei sua fã…

  3. Danielle Toste says:

    Vínicius,

    Pois é, eu já estive lá e senti isso também. Eu também não sou mto fã de moedas, mas acho que o problema é o desaforo mesmo, especialmente quando o preço é “,99” porque se os caras sabem que não terão troco, então que não coloquem esse preço. Além disso, tem gente que arredonda até para passar no cartão… po, ai não tem o problema da moeda…

    Nilva,

    Não sei porque, ehehe, mas obrigada.

  4. Cleber says:

    Bom post! Essa de arredondar até pra passar no cartão aconteceu comigo há poucos dias. Assim como você, não estava animado na hora para reclamar, mas depois me arrependi, porque se fosse o contrário eles não perdoariam.

  5. Didi says:

    Concordo totalmente! O problema é quererem nos fazer de bobos e não o centavo em si. Bancos também inventam taxas pequenas para tudo. Taxas que não poderiam ser cobradas, mas são tão banais, que ninguém reclama, no fim das contas, são milhões a mais em caixa porque centenas de pessoas deixaram para lá.
    Vou divulgar seu texto, se me permite! Citarei a fonte!

  6. Didi, fique a vontade para divulgar.

    Acho que quanto mais pessoas pensarem nisso, mas temos alguma chance de começar alguma mudança.

  7. Sven says:

    Pois é, cada centavo pode ser o inicio de uma  fortuna.

  8. Verônica says:

    O problema também é do governo, que tirou o 1 centavo, desta forma como não roda mais, não tem como dar troco. Penso que se o governo tirou o 1 centavo, não poderia mais vender produtos, aos quais não se consegui dar o troco.. 1,66 ou 1,69, de qq forma, sempre somos idiotas. E vale sim a pena brigar por um centavos, pois eles não tiram do bolso deles..

  9. Lawrence Almeida Pereira says:

    Gostei bastante do tema porque, como bem dito, não se trata de $0,01, mas sim da ética e da moral, dos valores, e também do sentimento de estar sendo enganado. Não é demais falar que esta é uma prática consubstanciada em uma política empresarial corrompida, ou corrupta. Existem outros exemplos de política empresarial corrupta. Ouvi falar de um caso em que o empregado ascendeu na sua empresa por bolar um plano de aumentar o diâmetro da “boca” do tubo da pasta de dente, fazendo com que os consumidores desperdiçassem mais pasta de dente. Neste caso, um pouquinho a mais de desperdício considerando milhões de consumidores faz toda a diferença para os lucros da empresa.
    Em todo o caso, na hora de reclamar existe a questão de ser “o chato”, ou “o inconveniente”, mas trata-se de verdadeiro dever, como cidadão, alertar, exigir e informar ao preposto o quanto é desagradável esta situação.

  10. Marcos says:

    Perfeito o seu comentário.

    Gostaria de dizer, inclusive, que quando fui aos Estados Unidos, em 3 cidades diferentes (Orlando, Miami e NY) cada centavo era fielmente devolvido. Ao elogiar um vendedor por ele ter me devolvido todos os centavos de troco, ele comentou comigo que em uma época o McDonald’s começou a vender o BigMac a US$ 1,00, mas só para quem pagasse com moedas de 1 centavo, pois eles estavam sem troco e precisavam de mais moedas de um centavo.

    É uma cultura que nós precisariamos ter

  11. Champz says:

       Primeiramente gostaria de pedir para os senhores irem reclamar diretamente com o BC para fabricar mais moedas de 1 centavo antes de vir aqui e falar merda, sem falar na grande maioria das pessoas que juntam em casa com essa mentalidade medíocre de satisfação em ter uma “quirerinha” de esperança no pote acima da geladeira fazendo companhia ao pinguim de porcelana. “Pimenta no CÚ dos outros é refresco”, por esta famosa frase, venho dizer inclusive que para o brasileiro, qualquer pessoa que não seja ela mesma é considerado “o outro”, portanto pouco importa se se o prejudicado é a outra parte. 
      No meu comércio quando falta até 5 centavos para o freguês dar para mim eu considero, mas quando falta eu dar 1 centavo para este mesmo cliente porquê eu devo dar 1 centavo para ele? Quem está errado agora heim?

  12. Champz says:

    Marcos, como a moeda de 1 centavo gasta se 10 centavos, o BC não fabrica para não gastar. Então não é somente questão cultural, mas de ações políticas. Eu morei no Japão 5 anos, e lá como 1 dólar é 95 ienes, da se muito mais quebrado no valor. portanto, moeda tinha de “porrada” circulando. 

  13. Larissa says:

    Sem contar quando vamos a lojas e pagamos em dinheiro, e muitas vezes na hora de dar o troco vem a pergunta: “Posso ficar te devendo 5 cpentavos?” – Não é muito, mas se somos nós que não temos os 5 centavos para completar o preço do produto, somos obrigados a achar outro meio para pagar, ou não levaremos o produto, pois nós não podemos ficar devendo 5 centavos!  

  14. Oi Dani td bem?? Qdo eu estava no 3 ano vc tbm estava, mas em uma outra turma,
    te admiro pelo seu esforço e agradeço pois seus resumos ajudam mt na complementação dos estudos! Parabéns

    Ah se vc quiser me namorar estou disponivel ok??? bjsss

  15. Sidney says:

    Champz você esta totalmente errado ao invés de querer sair deste Brasil de oportunismo ainda está muito mal informado pois o BC gasta 6 centavos para produzir uma moeda de 1 centavo. Aos outros meus parabéns é de gente assim que o Brasil precisa!

  16. Marcelo says:

    Eu trabalho no comércio. Não é bem assim que as coisas funcionam, por exemplo troco de 3 ou 4 centavos é arredondado pra 5, então também existe perda de 1 ou 2 centavos.

    Desde 2006 a casa da moeda não fabrica mais moedas de r$0,01. Daria prejuizo, pois cada uma custa 4 centavos pra ser cunhada.

  17. Gabriel Zambianco says:

    Entendo o que a colega do blog tentou exprimir com o texto. Não uma crítica direta aquelas pessoas que ficam “devendo” R$0,01 de troco, nem tãopouco, direcionada a pessoas como o sr. Champz, vejo que o real objetivo do texto é a pouco vergonha que o Brasil é! Pois temos a coragem de deixar passar a “malandragem” do comércio, sentido lato, ou seja, das grande potencias, quando estipulam valores com final 9, vez que este valor é para ludibriar o consumidor e induzir ao erro.

    Também me sinto lesado quando me tiram o direito sobre meu R$0,01, quando pago com cartão e a pessoa cobra esse valor, enfim, são N situações em que isso ocorre.

    E se reclamamos de um sociedade desigual, injusta, e corrupta, é porque somos coniventes com as pequenas situações, não importa se é 0,01 ou 1mil, é de alguém, e cabe a esse alguém decidir como utilizar!

    Bom é isso aí.

  18. Lekkerding says:

    Você está certíssima no que coloca. Já tive altercações em estabelecimentos afins – até no ônibus é comum ver isso – por conta de centavos, e sempre recebo a seguinte resposta: “vai brigar por causa de centavos? Tá pobre assim?”. Eu costumo responder que o problema não é o que falta no meu bolso, mas o que falta no caráter da pessoa que embolsa meus centavos como se fosse natural. Não só natural, mas JUSTO. Isso sempre me intriga: a cara de espanto que fazem quando cobro os R$0,03 faltantes. Como se fosse um desaforo querer essa quantia, que é minha, de volta. 
    Parabéns pelo post. 

  19. iskaminien says:

    Classe Média Sofre!
    Esse texto chega a cheirar ironia. Um centavo, mesmo?

  20. João Lemes says:

    Olá. Sou advogado como você. 
    Diversas vezes eu utilizo uma ferramenta dos Correios chamada CARTA SOCIAL, ao custo de R$ 0,01. Geralmente envio essa carta (que só pode ser enviada de pessoa física para pessoa física), quando um cliente desaparece. Peço, na correspondência, que ele entre em contato urgente, por telefone ou pessoalmente.
    Pra quem não sabe o que fazer com as moedinhas de R$0,01, eis uma finalidade, muito útil pra mim!

  21. Cida Rodrigues says:

    Sou comerciante, utilizo os centavos nos preços das mercadorias, mas no caixa do meu comercio, sempre damos o troco arredondado pra maior. E simplesmente odeio quando vou ao banco, principalmente, e a soma dos boletos dá 0,01 e eles me cobram 0,05, aí eu cobro mesmo! Porque se faltar 2 ou 3 cents eles não deixam passar. Acho que temos mesmo que cobrar.
    Muita Paz!

  22. Uma Vez impliquei com isso numa rede de supermercados de palmas, capital do tocantins. deveriam me da 2 centavos de troco, e retruquei, fiquei esperando uns 10 minutos para eles irem la dentro do supermercado para pegar os miseros 2 centavos.
    ai vem o problema, nos caixas nunca tem moedas de 1 centavo, então se a pessoa pedir vão sempre dizer “Não tem!” ai se retrucar eles podem até arranjar ou te dar outra de um valor diferente, mas ai a coisa já vai ficar muito feia.

  23. Afonso Rosa says:

    Hey Danielle Toste, quando você vai lançar seu livro?

  24. Jorge Araujo says:

    O grande problema é que sequer o nosso governo emite este tipo de dinheiro. Um dos leitores acima referiu os Estados Unidos. De fato lá eles valorizam a sua moeda. No Brasil estamos quase chegando à paridade do real com o dólar. No entanto enquanto aqui já extinguimos o 1 centavo e a nota de 1 real, lá estas têm circulação plena. Estaremos errados nós ou eles?
    A propósito a extinção da nota de 1 real favoreceu muito os guardadores de carro, que acabam ficando com 2 reais no lugar de 1, que é a nota mais fácil de guardar na carteira. 

  25. Pedro says:

    Champz ,quem dá troco faltando é ladrão!!!!!! mas como no BRASIL isso é normal .continue coitados dos seus clientes .Além de tudo vc é mau educado,também é normal aqui no brasil, seus palavrões foram deselegantes; como vc de ser,como comerciante.

  26. Maranhao says:

    Acho até que a questão do centavo não é relevante para o restaurante em termos financeiros, se dez mil pessoas forem lesadas num mês chegaremos a cem reais. Mas você tem razão no sentido de estarmos constantemente sendo bombardeados por propagandas flagrantemente enganadoras, e as autoridades nada fazem.

  27. Fabiana says:

    Não é uma questão de ” sovinismo ” mas me sinto mal quando deixo passar 0,01 a 0,05 centavos. Creio que para cada 1 centavo que deixamos para os comerciantes contribuímos para a sujeira do País, é tão pouquinho que nem percebemos…mas se fizermos as contas de quantas pessoas deixam passar os míseros 0,01 todos os dias…A questão de me sentir mal em relação a isto é que o caixa ignora, como se não fosse nosso direito receber o troco, que, pensando bem no final do mês vira e mexe temos que contar moedinhas.. e aquelas míseras que ficaram nos estabelecimentos comerciais nos fazem falta nesta hora. Aliás o Congresso deveria fazer uma reforma no Direito Comercial, Tributário, proibindo o uso de ” preços cortados ”  pois mais é um golpe mercantilista escondido atrás de uma vírgula, Isto sim!

  28. janaina says:

    E u fico triste por muitas vezes de morar aqui no Brasil,não há mais em quem confiar por mudanças tributárias cobradas injustamente,hoje fui ao mercado 5 vezes e ficou 0,05centavos pra trás e se cobramos os caixas riem de sua cara e acaba sendo um constrangimentos,não há fiscalização que se importe com este tipo de reclamação,somos dados como inconvenientes,chatos,não como muitos disseram por ser 0,01 centavo e sim por moral e verdade do que se anuncia e se liga pro Procon denunciando esses comerciante  por falsas propagandas não há resultados de direito algum,enfim palhaços somos,pois o governo nos trata assim infelizmente e ao Senhor Champz um recado vc é mais um de muitos que se corromperam e se conformou com as podridão do governo se aliou a eles,mas existem pessoas que enquanto puderem lutarão por uma política correta!

  29. Mateus says:

    Vocês estão enxergando a coisa de maneira muito superficial, sem se darem conta de como a coisa funciona de verdade. Em primeiro lugar,  a Casa da Moeda (e não o BC) não cunha mais moedas de 1 centavo, por determinação do BC. Logo, não é mais moeda corrente, e os bancos receberam orientação para recolherem todas. Outro ponto a ser levado em conta, é que essa mísera diferença não vai pro dono da loja, fica no caixa. Como caixa de banco, posso garantir isso a vocês. Temos como orientação arredondar os finais 3, 4, 8, 9 pra cima, e 1, 2, 6, 7 pra baixo. Assim, se o final for 7 centavos, passa como 5 e etc. Esses centavos ficam no caixa e não são repassados, porque no fim do dia, meio que se equivalem. Pelo menos nos bancos, há uma tolerância de fechamento, o caixa pode fechar sua “gaveta” faltando ou sobrando alguns Reais. Por isso essa diferença fica sempre no caixa. Então não adianta exigir sua moedinha de 1 centavo, porque ela realmente não existe mais. O caixa deveria lhe dar uma de 5 centavos pra se livrar da chatice, mas esse dinheiro sai do bolso dele, não da empresa. Agora, arredondar quando se passa cartão ai é sacanagem mesmo.

  30. Milena Fortuna says:

    sabe o que eu comecei a fazer nessas  situações??
    é 10,99?    eu entrego pra eles 10,95. HAHA e quando dizem que ta faltando 5 centavos eu digo vai me dar o troco de 1 centavo?
    é assim que tenho feito. sempre bom ter moedas de 5 centavos no bolso pra fazer isso..

  31. Montalvão says:

    Tudo bem Dani? Estou fazendo uma matéria sobre impostos de games e achei seu blog falando sobre isso e achei muito interessante. Será que podemos conversar? Gostaria da sua ajuda. Grande abraço!

  32. Nicole says:

    É verdade..pois se chegarmos nos estabelecimentos e pedirmos R$0,01 centavo não vão nos dar…porém arredondar os valores eles querem.
    Eu mesma, não estou nem aí….cobro mesmo se não me devolvem meu R$0,01 centavo…eu trabalhei por ele…eu tenho direito de exigi-lo quando necessário.
    O que a Milena faz é uma ótima idéia…vou começar a praticar.

    Beijos.

  33. Tereza says:

    Olá gente, acho que o exemplo do restaurante está bastante suave em comparação aos centavos que os supermercados ganham. Por exemplo, eu vivo na cidade de Ubatuba SP e aqui os supermercados que ganham muito mais que os restaurantes
    estão fazendo algo que parece ofensivo para minha inteligencia e as dos demais consumidores. Aqui todos os produtos, ou a maioria deles, colocam preços como R$ 1,98, R$ 10,18, R$ 4,97, com o descaramento de ficar sempre com 2 ou 3 centavos de cada produto. Eu tento sempre pagar com cartão de débito para não ser vitima desse engano. Eu não conheço os lucros desses supermercados, mas imagina que se a cada produto que vendem colocam um preço, para ganhar no minimo 2 centavos, com isso estaram ganham uma boa porcentagem de maneira enganosa e claramente ilegal.

  34. Carlos says:

    Na verdade a pessoa que está te atendendo não tem culpa, pois ela é só um empregado e o patrão deve descontar a diferença do pobre infeliz. Porém sem duvidas é muito chato você ir pagar uma conta e nunca te darem o troco dos centavos. Eu acho que deveria haver uma lei proibindo esse negocio de R$0,99 e que as mercadorias ficassem sempre no valor de pelo menos R$0,05 centavos no fim, pois realmente moedas de R$0,01 centavos não existem mais.

  35. Ronaldo says:

    Agora os comerciantes bonzinhos estão cobrando os centavos na casa dos : “vírgula noventa e sete” e não mais no ,99. Por que? Simples: vão ganhar três centavos por freguês lesado ao invés de um. Vá a um supermercado e veja quantas pessoas têm lá dentro.Façamos uma média pessimista de 40 pessoas a cada 15 minutos.160 por hora vezes tres centavos = cinco reais por hora vezes 10 = 50 reais por dia vezes 30 dias = MIL E QUINHENTOS REAIS POR MÊS em uma conta bem pessimista, ou seja, UM FUNCIONÁRIO JÁ ESTÁ PAGO.Pense agora em um banco onde contas terminadas em centavos são pagas TODO O MINUTO. Hoje eu fui a um banco e reparei INEXISTIR os centavos.Pense agora em uma família de 5 pessoas e 3 compras por dia (café, almoço e lanche) = 0,45 centavos por dia vezes 300 (cálculo por baixo) = SUA FAMÍLIA VAI TER UM PREJUIZO ANUAL DE CENTO E TRINTA E CINCO REAIS.

  36. Midori says:

    Às vezes ouço do vendedor algo como “posso ficar devendo 2 centavos?”. A minha resposta é: “que tal EU ficar devendo 3 centavos?”. Até hoje não fiquei sem meu troquinho.

  37. bancário revoltado says:

    Quanta mesquinharia e ignorância reclamar por um centavo. Sou bancário e todo dia tem um idiota pensando que ficamos ricos com essa merda de 1 centavo. Acho um absurdo uma falta do que fazer ficar resmungando por causa de 1 centavo, isso é coisa de gente mesquinha e pobre de espírito. Tantas coisas importantes pra se brigar e tem um bando de manés que se acha lesado por causa de 1 centavo. Vai protestar pelos milhões que tão roubando em Brasilia.

  38. bancário revoltado says:

    Janaina concordo com vc que pede 1 centavo de troco deve mesmo ser considerado um palhaço, pois é uma piada de mau gosto. Imagine incomodar o pessoal do Procon por causa de 1 centavo. Agora não entendo o que a ” podridão do governo” tem a ver com R$0,01, que viagem… Coitado do Champz agora ele tá junto com os corruptos de Brasilia por causa do 1 centavo. Agora legal mesmo foi o João Paulo que perdeu 10 minutos por 2 centavos, com 1 centavo se pode comprar cinco minutos da vida dele!!! Me manda o currículo JP que eu vou te contratar para polir as moedas de R$0,05 que eu dou para caras mesquinhos e barraqueiros que nem você.

  39. Fantástico, essas moedinhas fazem uma grande diferença a longo prazo!

Leave a Reply

Your email address will not be published.